Sucos de Uva: Existem diferenças?

Por Caroline Dani

Essa provavelmente seja a pergunta que eu mais respondo às pessoas que assistem as minhas palestras ou leem os nossos artigos. A grande dúvida do consumidor é a diferença entre os produtos que existem nos mercados denominados suco de uva. De acordo com o Decreto 99.066 de 1990 Art. 63, suco de uva é a bebida não fermentada, obtida do mosto simples, sulfitado ou concentrado, de uva sã, fresca e madura, sendo tolerada a graduação até 0,5°L. Ainda segundo legislação o suco de uva deve preservar cor, aroma e sabor característicos da uva que deu origem. No mesmo decreto apresenta-se a divisão dos sucos de uva em: concentrado, desidratado, reprocessado ou reconstituído, integral ou simples e finalmente adoçado.

A resposta para esta pergunta é muito simples, a escolha deve ser sempre pelo produto que traz no seu rótulo o nome: suco de uva. Isso por que esse produto é um produto 100% uva. Atualmente no mercado existem diferentes tipos de produtos, sendo que vários deles não são suco de uva, são néctar, bebida ou refresco. Mas qual é diferença entre esses produtos? Suco integral é um produto 100% uva, sem água, sem açúcar, sem aromatizantes, nem corantes, podendo ou não conter conservantes. Sendo que recentemente contamos no mercado com um produto denominado suco puro, ou seja, um produto que tem a garantia de ser somente uva, sem adição de nada mais. Suco reconstituído, produto 100% uva, proveniente de suco concentrado. Este produto pode conter açúcar, mas trará no rótulo a expressão “adoçado”. Néctar é o produto que desde 2015 contém 50% de suco de uva, diluído em água e adoçado, contendo  conservante.  Já a bebida é um produto com 10 a 15% de suco de uva, diluído em água, adoçado, colorido e aromatizado artificialmente. Para refresco e sucos em pó não existe legislação vigente no Brasil.

A diferença entre esses produtos primeiramente está na concentração de polifenóis. Estudos da literatura científica demonstram que os sucos integrais são os mais ricos nestes compostos. Os sucos reconstituídos têm uma redução nestes compostos, entretanto apresentando valores muito superiores aos néctares e as bebidas de uva. Importante ressaltar que devemos evitar o consumo de bebidas adoçadas, isso porque segundo a literatura científica a presença de açúcar reduz a atividade antioxidante da bebida, dado este que já foi observado em sucos de laranja, caju e uva. Ainda, segundo estudos publicados no ano de 2013 nos Estados Unidos, que reuniram mais de 28 mil pessoas, demonstraram que o consumo durante a infância de soft drinks, ou seja, as bebidas adoçadas, aumentam a chance de Diabetes tipo 2 na idade adulta.

Os polifenóis são metabólitos secundários da planta que são produzidos por esta em virtude de situações de estresse, como por exemplo, calor excessivo, fungo, ou seja, dificuldade no desenvolver da planta. Estes compostos estão concentrados na casca e na semente da uva, apresentando variações de acordo com a safra e com a variedade de uva. Por exemplo, existem variedades que promovem mais coloração ao derivado, essas variedades são as mais ricas em uma classe de polifenóis, as antocianidinas.

Em 2007 publicamos pela primeira vez um estudo que demonstrava diferenças na composição fenólica entre sucos brancos e tintos, orgânicos e convencionais. Observamos neste nosso estudo que os sucos tintos são os mais ricos em polifenois, muito explicado pelo contato maior com a casca para extração da cor, processo que tem período reduzido na elaboração dos produtos brancos. Ainda, em nosso estudo, demonstramos que os produtos orgânicos são mais ricos em compostos fenólicos do que os produtos convencionais, explicado pelo maior sofrimento que a condução orgânica provoca quando comparado a condução convencional.

Atualmente, inúmeros estudos publicados na literatura científica vêm confirmando a diferença entre os tipos de suco de uva. Estudos conduzidos pelo grupo da Professora Dra. Marilde Bordignon-Luiz, da UFSC, tem demonstrando que os sucos tintos, orgânicos e convencionais, são mais ricos em compostos fenólicos que os brancos. Que quando comparados os tintos, os orgânicos, apresentam maiores índices de alguns compostos fenólicos, como por exemplo, as catequinas. Nesse estudo avaliando sucos provenientes da serra gaúcha. Entretanto, neste mesmo estudo, quando comparamos a composição mineral, o suco branco é mais rico em alguns compostos, como por exemplo o sódio. Quanto a atividade biológica, quando comparados os tintos orgânico e convencional, não foram observadas diferenças na redução dos danos oxidativos a lipídios.

Esse mesmo grupo demonstrou a composição fenólica de sucos produzidos a partir de novas variedades implantadas no Vale do Rio São Francisco, no Nordeste do País. Neste estudo, publicado na Food Chemistry, em 2014, os autores demonstram que os sucos produzidos nesta região a partir das variedades Isabel Precoce, BRS Cora, BRS Violeta, BRS Magna, Mistura de  Isabel Precoce 80% and BRS Violeta 20% e a mistura de Isabel Precoce 80% and BRS Cora 20%. O grupo apresentou que os sucos produzidos a partir da BRS Violeta apresentou os maiores níveis de polifenóis totais e os produzidos a partir de Isabel precoce os menores níveis. Os sucos de BRS Violeta também foram os que apresentaram os maiores níveis de resveratrol. Neste estudo eles também avaliaram a atividade antioxidante, e observaram que as variedades BRS Violeta, Magna e Cora são as que apresentam as maiores atividades antioxidantes. Os autores concluem que este estudo comprova que os sucos provenientes do Vale do São Francisco são também importante fontes de polifenóis e de atividade antioxidante.

Além da composição fenólica e atividade antioxidante, os sucos de frutas são excelentes escolhas para melhorar a nossa saúde.  De acordo com Academia Americana de Pediatria (AAP) e Dietary Guidelines 2010 para os americanos (DGA), o consumo moderado de suco de fruta 100% auxilia a termos uma dieta saudável e pode ajudar as pessoas a conhecer suas metas diárias para a ingesta de frutas. Segundo a Organização Nacional de Pesquisa e Nutrição dos Estados Unidas (1999 a 2002) observaram que crianças e adultos que consumiram 100% suco  não mostraram diferenças na energia total (calorias) ingestão, peso, índice de massa corporal (IMC) ou a circunferência da cintura, consumiram mais porções de frutas, e, as crianças tiveram menor ingestão de açúcar  e  tiveram maior consumo de vitamina C e potássio.

Desta forma, o que podemos concluir é que o suco de uva é uma excelente fonte de benefícios à nossa saúde. Destacando principalmente o suco de uva, que é reconhecido como mais rico em compostos fenólicos, fornecendo vitaminas e minerais também. Ou seja, consumir suco de uva 100% UVA, sem adição de água, açúcar, conservantes ou antioxidantes, é consumir saúde. Fornecer a seus familiares esse produto é pensar no bem estar deles e garantir um futuro com certeza mais saudável.

Deixe uma resposta